Notícia

Comentários Imprimir
Twitter Facebook

Jorge Palma apela à revolta

14.09.2012


Jorge Palma
Jorge Palma

O cantor Jorge Palma não vai poder estar presente na manifestação de amanhã, em Lisboa, contra as medidas de austeridade, mas recorreu ao Facebook para incitar o povo à revolta.

Escreveu ele no seu mural:

“Companheiros: não vou poder estar convosco na mobilização de 15/9, porque tenho o privilégio de trabalhar nesse dia. Mobilizo-me à minha maneira e digo o que tenho a dizer, sobretudo através das canções que escrevo. É urgente estarmos unidos, cada vez mais, por todo o país, para dizer firmemente "NÃO" ao inaceitável. Tem de existir um limite para tanta injustiça, tanta arrogância, tanta impunidade e tanto sofrimento para esta maioria que não pode continuar a ser tão silenciosa. Não vale a pena falar dos agravamentos bestiais que pessoalmente me afetam – a  minha sobrevivência depende essencialmente do público e esse está aflitivamente a ficar sem meios de subsistência. Sei que o desemprego vai aumentar, o número de desalojados e falências também e sei que este povo tem de gritar bem alto e em uníssono “CHEGA!” – para não perecer.”

Neste momento, mais de 50 mil portugueses já confirmaram a sua participação nesta manifestação, convocada por “um grupo de cidadãos” e cuja principal palavra de ordem é “Que se lixe a troika – queremos as nossas vidas”.

Aguardam-se na “manif” muitas figuras públicas, como será o caso de Manuela Moura Guedes, que já anunciou estar presente: “Eu vou à manifestação porque não faço parte do enorme bando de alforrecas que tem demonstrado ser o povo português”, escreveu a jornalista no seu mural do Facebook.

Além da marcha na capital, haverá idênticos protestos no Porto e principais cidades portuguesas.




Comentários

Fotogalerias

Newsletter

Entrevistas

Ver Mais Entrevistas